Show simple item record

dc.contributor.authorFreitas, Carlos Eduardo de
dc.date.accessioned2014-01-02T15:43:39Z
dc.date.available2014-01-02T15:43:39Z
dc.date.issued2005-11
dc.identifier.isbn9213227507
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/11362/5140
dc.descriptionIncluye Bibliografía
dc.description.abstractSumário e conclusões O objetivo do presente estudo é passar em revista a experiência brasileira com as Instituições Financeiras de Desenvolvimento (IFD's); à luz, principalmente, da crise bancária da década de 1990. Esta crise abalou os alicerces de credibilidade das IFD's e semeou dúvidas sobre a sua efetiva contribuição para o desenvolvimento econômico. Em que medida elas ainda fazem sentido, e sob que condições deveriam continuar a existir? Estas são as perguntas centrais em torno das quais gira o trabalho. A crise das IFD's é examinada a partir dos seus condicionantes macroeconômicos, políticos, institucionais e ideológicos. Perscrutouse o futuro das IFD's com a consciência de que o cenário dos anos 80 e 90 provavelmente não se repetirá daqui para frente. Além disso, examinaram-se medidas que podem ser tomadas pelo Governo e que melhorariam a forma de atuação das IFD's, permitindo-lhes desempenho mais eficiente e menos sujeito a turbulências. A pesquisa trabalha basicamente com análises qualitativas, inclusive fazendo uso de entrevistas com um conjunto de destacados economistas, auditores, inspetores de bancos e administradores de instituições financieras,1 com participação direta na administração e supervisão das IFD's. O estudo está dividido em 5 capítulos. O capítulo I descreve a crise das IFD's, concluindo (Seção 5); com o panorama atual do sistema financeiro do Brasil. O capítulo II tem um caráter conceitual e examina a gestão governamental de instituições financeiras na perspectiva da experiência brasileira. Desenvolve, em sua Seção 3, um pequeno aparato lógico para análise das condições teóricas sob as quais faria sentido o Governo operar instituições financeiras de desenvolvimento. O capítulo III analisa a estrutura de recursos das IFD's, destacando a importância dos fundos fiscais e parafiscais, hoje, no Brasil, praticamente as únicas fontes de capital de longo prazo em moeda nacional, isto é, em reais. Embora com imensa capilaridade e respondendo por quase metade das captações de depósitos no País, as duas grandes instituições financeiras públicas federais, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, pouco uso podem fazer desse potencial em termos de empréstimos de longo prazo. A memória ainda recente de 5 décadas de inflação concentra os poupadores no curto prazo. A inflação galopante dos anos 80 e 90 continua a produzir suas conseqüências. A estabilização dos preços é apenas o primeiro passo da estabilização da moeda. O capítulo IV contempla a importância das IFD's na oferta de crédito, e as suas perspectivas no Brasil sob a hipótese de um esperado desenvolvimento financeiro do País. Finalmente o capítulo V apresenta um resumo do estudo, com as principais conclusões e recomendações. Basicamente, conclui-se que as IFD's são indispensáveis no futuro imediato, mas o seu papel a mais longo prazo é sujeito a controvérsias. As recomendações, em linhas gerais, seriam: 1); concentrar as IFD's no âmbito federal; 2); formatá-las basicamente como bancos de desenvolvimento puros; 3); fortalecer os órgãos de controle; 4); insistir na estabilidade macroeconômica, com redução da dívida pública; 5); desenvolver os instrumentos do mercado financeiro e os mercados de capitais, reduzindo a repressão financeira.
dc.format.extent122 páginas.
dc.language.isopt
dc.publisherCEPAL
dc.relation.ispartofseriesSerie Financiamiento del Desarrollo
dc.titleA experiência brasileira com instituições financeiras de desenvolvimento
dc.typeTexto
dc.contributor.entityBID
dc.contributor.entityNU. CEPAL
dc.contributor.entityNU. CEPAL. Unidad de Estudios Especiales
dc.projectProyecto El Reto de Acelerar el Crecimiento en América Latina y el Caribe BID 03/098
dc.divisionDivisión de Financiamiento para el Desarrollo
dc.divisionoldUnidad de Estudios Especiales
dc.publicationstatusDisponible
dc.regionalofficeSantiago
dc.physicaldescription122 p. : diagrs., tabls.
dc.jobnumberS054247 P
dc.salenumber05.II.G.115
dc.callnumberINT UN/FI 30(155/2005)
dc.callnumberLC/L.2328-P
dc.identifier.unsymbolLC/L.2328-P
dc.placeofeditionSantiago
dc.relation.ispartofseriesno155
dc.subject.spanishDESARROLLO ECONOMICO
dc.subject.spanishEVALUACION
dc.subject.spanishFINANCIACION DEL DESARROLLO
dc.subject.spanishINSTITUCIONES FINANCIERAS
dc.subject.spanishPOLITICA ECONOMICA
dc.subject.spanishSISTEMAS MONETARIOS
dc.subject.spanishRECURSOS FINANCIEROS
dc.subject.spanishADMINISTRACION PUBLICA
dc.subject.englishDEVELOPMENT FINANCE
dc.subject.englishECONOMIC DEVELOPMENT
dc.subject.englishECONOMIC POLICY
dc.subject.englishEVALUATION
dc.subject.englishFINANCIAL INSTITUTIONS
dc.subject.englishMONETARY SYSTEMS
dc.subject.englishFINANCIAL RESOURCES
dc.subject.englishPUBLIC ADMINISTRATION
dc.coverage.spatialspaBRASIL
dc.coverage.spatialengBRAZIL
dc.type.biblevelDocumento Completo
dc.doctypeSeries
dc.topic.spanishFINANCIAMIENTO PARA EL DESARROLLO
dc.topic.spanishGESTIÓN PÚBLICA
dc.topic.spanishASUNTOS FISCALES
dc.topic.spanishSECTOR FINANCIERO Y MONETARIO
dc.topic.englishFINANCING FOR DEVELOPMENT
dc.topic.englishPUBLIC ADMINISTRATION
dc.topic.englishFISCAL AFFAIRS
dc.topic.englishFINANCIAL AND MONETARY SECTOR
dc.idsade24171
dc.workarea.spanishDESARROLLO ECONÓMICO
dc.workarea.spanishESTADÍSTICAS
dc.workarea.spanishPLANIFICACIÓN PARA EL DESARROLLO
dc.workarea.englishECONOMIC DEVELOPMENT
dc.workarea.englishSTATISTICS
dc.workarea.englishPLANNING FOR DEVELOPMENT
cepal.physicaldescriptiondiagramas, tablas


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record